Capital de Terceiros x Capital Própio: Qual a Melhor Opção?

outubro 4, 2016 7:00 pm

Na vida de um empreendedor existem dois momentos que definem a história de seu negócio: a decisão de abrir uma empresa e a decisão de expandi-la. Estes dois momentos compartilham uma incerteza em comum: Devo utilizar Capital de Terceiros ou Capital Próprio?

O primeiro pilar que sustenta esta dúvida é: Qual capital é o mais caro? A resposta é quase sempre unânime, capital de terceiros. Mas não se engane, esta é a opção errada.

Para entender melhor continue lendo e entenda as vantagens e desvantagens de cada um dos tipos de financiamento:

Capital de Terceiros x Capita Próprio

Financiamento de Capital no Brasil

No Brasil é comum vermos as pessoas evitarem empréstimos a todo custo. De certa forma elas estão corretas, afinal o Brasil está sempre no topo dentre os países com as maiores taxas de juros reais do mundo.

Mas lidando com finanças, é preciso se ter em mente que uma boa informação só é gerada a partir de dados e análises. Ás vezes o que parece ser bom pode não ser tão lucrativo quanto aparenta.

Antes de decidir qual o tipo de financiamento de capital, existem observações que devem ser levadas em consideração:

  • Aceitação ao Risco: O quanto você está disposto a se expor?
  • Versatilidade: Qual seu grau de autonomia com cada modelo?
  • Relacionamento: Qual o nível de relação com sócios ou empresas financiadoras?

Ter esse tipo de resposta em mente é o pontapé inicial para se analisar a questão da origem dos recursos.

Para esclarecer os conceitos de Capital Próprio e Capital de Terceiros, vamos nos aprofundar em cada um detes:

Capital Próprio:

Formado pelos recursos originados do fundador, sócio ou ainda recursos originados de investidores que injetam capital em troca de participação. Por

Nessa modalidade o empresário tem controle total, podendo decidir com o que, onde e quando investir, etc. No entanto, fica limitado à quantidade do seu próprio capital.

Para crescer, depende de uma estrutura orgânica, pautada, basicamente, no reinvestimento total ou de parte dos lucros.

Nesse tipo de investimento, caso opte por um sócio, deve-se ter bem definida qual a participação e responsabilidades de cada um no empreendimento.

Ter um sócio também pode ser vantajoso quando se leva em consideração fatores com know-how e estratégias de gestão. É a opção mais cotada quando se trata de um empresário com perfil conservador ou tradicional.

Capital de Terceiros:

Formado por recursos externos à empresa, como empréstimos ou financiamentos bancários. O capital de terceiros permite um crescimento acelerado que vai além do que seria possível com os recursos próprios.

Conseguindo uma operação de maior potencial naturalmente têm-se uma geração maior de lucros. O problema nesse caso é que, além do retorno próprio esperado, o empresário precisa pagar as obrigações advindas com a obtenção deste capital (juros), ou no caso de ter optado por captar recursos com um investidor, fica com sua autonomia reduzida.

Se tratando deste tipo de recurso também é recomendável não comprometer como garantias itens essenciais à operação, como máquinas e equipamentos. Devido a essas características é uma opção ao perfil de empresários mais ousados.

Qual tipo de capital utilizar?

Decidir qual tipo de financiamento utilizar é uma escolha desafiadora, que afeta o desempenho de sua empresa no longo prazo. Conte sempre com ajuda na hora de tomar uma decisão de tal porte.

Caso ainda tenha dúvidas qual tipo de financiamento utilizar, leia nosso artigo:

Passo a passo: Financiamento do Capital de Terceiros ou Próprio

Como se Prevenir dos Riscos?

Um dos principais componentes do financiamento é o risco, e quanto você está disposto a se expor a este.

Caso você já tenha decidido qual tipo de capital irá utilizar no seu financiamento, precisa executar um bom gerenciamento de riscos.

Conheça o que é e os 3 passos para a Gestão de Riscos no nosso artigo:

3 Passos para o Gerenciamento de Riscos

Como mensurar a lucratividade?

Medir e controlar os resultados obtidos serão a forma de definir se manter a empresa aberta está sendo um bom negócio.

Do que adianta manter um empreendimento se existem alternativas de menores riscos ou maiores retornos disponíveis no mercado?

Você precisa de Indicadores para mensurar o sucesso da sua empresa.

Conheça os Indicadores Chave de Desempenho no nosso artigo:

O que é KPI: Conheça Tudo Sobre os Indicadores Chave para Sua Empresa

Para isto existem metodologias para se calcular o verdadeiro lucro econômico, como o Economic Value Added (EVA). Outras formas seriam medir o custo de oportunidade e o Total Shareholder Value (TSV).

Porém, no início do negócio não é preciso usar metodologias complexas, basta se perguntar se o retorno obtido está sendo compatível com o risco e o capital investido.

Palavras-chave: , , , ,

Categoria: ,

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *