RELACIONAMENTO EM EQUIPE: DICAS PARA UMA BOA INTERAÇÃO QUE ALAVANCARÁ SEUS RESULTADOS

março 15, 2016 10:20 am

Gerenciamento de Equipes

O bom funcionamento de toda empresa é resultado da produtividade de seus funcionários, o que depende da interação entre eles e da forma como estabelecem o trabalho em equipe, seja isso dentro de um mesmo setor ou entre áreas distintas. Assim, é comum ver problemas na execução de tarefas dados por falhas de comunicação entre os membros, pouca interação entre as áreas e baixos níveis de motivação. Esses problemas se tornam cruciais nos resultados da empresa, uma vez que os processos se tornam ineficientes, acarretando insatisfação de clientes e consequente queda nos índices financeiros.

Desse modo, torna-se essencial atuar na produtividade da equipe de trabalho, o que deve ser feito não apenas pelas lideranças de cada setor, mas também por cada membro individualmente, com impactos em toda a empresa. Para isso, é preciso melhorar o funcionamento da equipe por meio do foco em quatro áreas: comunicação, avaliação do desempenho, dar assistência aos membros e mantê-los motivados.

A comunicação é o aspecto mais importante e, ao mesmo tempo, mais problemático da interação de equipes. Muitas vezes, as pessoas gostam mais de falar do que de ouvir e se apegam a seus pontos de vista, não cedendo aos dos outros. No entanto, a falha de comunicação pode gerar problemas significativos na execução de uma tarefa. Para evitar isso, deve-se:

 

1- Comunicar-se constantemente: tenha sempre em mente que os custos do excesso de comunicação são bem menores que os custos da falta de comunicação. Ou seja, gastar mais tempo lendo e redigindo relatórios e e-mails, por exemplo, é menos problemático do que ter retrabalho ou executar de forma errônea por não considerar pontos levantados por outros.

2- Ouvir com atenção: concentre-se naquilo que o outro está falando, interaja com sua linha de raciocínio, solicite a opinião dos seus colegas. Isso pode engrandecer em muito seu trabalho.

3- Separar as questões em discussão das pessoas: se a opinião de dada pessoa sobressair com relação à do grupo, isso jamais deve a colocar em posição de superioridade.

 

Avaliar o desempenho e o progresso dos membros do grupo, dar feedbacks consistentes e gerar pontos de melhoria concretos é essencial, uma vez que todos querem crescer e se desenvolver. Isso contribui para que cada um possa se aperfeiçoar e que seu trabalho seja executado cada vez com mais excelência. Para tal, é importante:

 

1- Discutir a dinâmica da equipe: devem-se conhecer o perfil de trabalho e a personalidade de cada um. Além disso, é preciso discutir abertamente quais serão as ferramentas de avaliação utilizadas pela equipe.

2- Estabelecer expectativas e monitorar resultados: a equipe deve saber aonde quer chegar, tanto pessoalmente quanto o projeto em si. A partir disso, é relevante medir o desenvolvimento (ainda que de modo qualitativo).

3- Desenvolver e reavaliar um plano pessoal: este é um ponto crucial na busca do crescimento pessoal. Cada um deve saber conhecer suas forças e fraquezas e traçar os melhores caminhos para otimizar seus resultados.

 

Dar assistência aos membros, estimulando que executem com o que eles têm de melhor, dando insumos com relação ao que podem melhorar e contribuindo com seu trabalho, é fundamental para que os resultados sejam maximizados. Por vezes, as pessoas são “mal distribuídas” em suas funções, recebem poucos feedbacks e têm foco excessivo em suas atribuições individuais, o que compromete a geração de resultados em um projeto. Assim, deve-se:

 

1- Alavancar o conhecimento especializado: alocar as pessoas nas funções em que elas trabalham melhor pode ser um meio de gerar melhores resultados.

2- Manter os membros da equipe responsáveis por suas respectivas funções: cada membro deve saber onde se encaixa no projeto e ter domínio de suas funções. No entanto, é essencial ter um conhecimento geral e sistêmico do projeto, o que pode permitir a ocorrência de eventuais mudanças necessárias e colaboração estre as funções.

3- Dar feedbacks nos momentos devidos: feedbacks são primordiais no crescimento pessoal, mas, para tal, devem ser motivadores e dados na hora correta. Eles devem ser balanceados, não ter apenas pontos de melhoria e é interessante que sejam repletos de exemplos.

 

Manter membros motivados é essencial, pois, da mesma forma que profissionais motivados são mais produtivos, profissionais desmotivados podem comprometer negativamente toda a equipe e os resultados gerados. Por isso, é importante:

 

1- Identificar motivadores personalizados: cada pessoa é motivada por pontos diferentes. Deve-se identificar o que motiva cada membro da sua equipe. Alguns exemplos são: remuneração bônus, promoções, reconhecimento e apreciação.

2- Reforçar positivamente os colegas de equipe: feedbacks positivos são grandes fatores de motivação, bem relacionados ao reconhecimento e à apreciação. Elogiar sinceramente pode gerar grandes impactos positivos.

3- Comemorar as realizações: sempre que a equipe realizar um ponto importante no projeto, é interessante comemorar, de maneira informal e descontraída.

 

Portanto, ao atuar sobre esses quatro tópicos, serão obtidos ganhos fundamentais no trabalho da equipe, garantindo, desse modo, que as tarefas sejam executadas e gerenciadas de maneira mais assertiva e gerando melhores resultados para sua empresa, tanto em seus processos internos quanto no consequente retorno financeiro.

Escrito por: Isadora Lima, Gerente de Projetos UCJ.

Palavras-chave: , , , , ,

Categoria: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *